domingo, 3 de outubro de 2021

Linda e cândida madrugada

Linda e cândida madrugada
Numa noite enluarada
Era em você que eu pensava
E por isso me desesperava

Sem destino caminhava
E com você eu sonhava
Na minha mente imaginava
Que você ainda me amava

Linda e cândida madrugada
Onde o meu pensamento voava
Mas você me desprezava
Enquanto eu a olhava

Lá se vai à bela madrugada
E com ela vai também a minha dor
Novas madrugadas virão
Trazendo pra mim um novo amor


Alécio Souza


Obs.: Esse é um poema escrito há anos atrás e que estava nos meus arquivos que guardo com carinho, estou remexendo o meu baú de poemas e aos poucos vou postar poemas antigos aqui no blog. Boa leitura à todos!

quinta-feira, 2 de setembro de 2021

Dilacerado

Uma imagem que não sai da minha cabeça
O horror causado por uma guerra
Deixa sequelas e não há quem se esqueça
Quando fogem da sua própria terra

Pendurados em um avião militar
Só desejam escapar do conflito
Não há como não chorar
Vendo todo um povo aflito

Quando a intolerância vai acabar?
Quantas pessoas os soldados irão matar?
A humanidade precisa acordar
Que viemos neste mundo para amar


Alécio Souza


Obs.: A trágica imagem das pessoas se agarrando ao avião pra fugirem de um regime totalmente opressor e sem nenhuma liberdade me tocou fundo no coração e eu resolvi escrever este poema com toda a dor que essa cena me causou. Difícil explicar em palavras o horror de uma guerra, a disputa por territórios, a imposição pela força que tira todos os direitos do povo e os oprime e massacra sem dó. É triste ver que o quanto o ser humano continua sendo mesquinho, ganancioso, impiedoso e o quanto o poder corrompe as pessoas e as transformam em bestas-feras onde só o que prevalece é a sua sanha de dominar e arruinar vidas. Espero que a situação no Afeganistão tome outros rumos, que a liberdade volte a reinar no país, que se forme um governo democrático onde se preserve a paz e a esperança do povo. No momento isso é muito difícil, mas torço e acredito numa mudança futuramente.

segunda-feira, 2 de agosto de 2021

Hoje eu chorei

Hoje eu chorei
Não sei lidar com a indiferença das pessoas
Tudo que ofereço é o melhor de mim
Mas o vazio da alma parece não ter fim

Hoje eu chorei
Sem entender a frieza que paira no mundo
O afeto se perdeu para a intolerância
E a dor no peito gera um impacto profundo

Hoje eu chorei
Senti a falta de amor de quem eu gostava
Lembranças de um passado bom
Saudades de quem eu amava

Hoje eu chorei
Mas as lágrimas secam o coração
Espero um dia voltar a acreditar
Que este mundo hostil ainda tem solução


Alécio Souza

domingo, 4 de julho de 2021

A vacina

A vacina que nos une
Contra o negacionismo que pune
Ela é a nossa única esperança
De viver em segurança

Todos querem estar imunizados
Mesmo aqueles que estão do outro lado
Precisamos acreditar na ciência
E na paz da convivência

Não há nada melhor que a liberdade
De um povo que luta pela igualdade
Só seremos pessoas melhores
Se neste caminho espalharmos flores


Alécio Souza


Obs.: Quero dedicar este poema para as mais de 520 mil vítimas da covid19 até aqui no Brasil, que infelizmente não tiveram a chance de se protegerem do vírus mesmo já existindo vacinas disponíveis no mercado em tempo hábil de serem aplicadas. Hoje no país vivemos um período sombrio onde o negacionismo e o tratamento precoce com remédios sem eficácia comprovada substituiu por muito tempo a vacina que salvaria vidas. Tudo isso por culpa, incompetência e irresponsabilidade exclusiva do governo federal, do execrável e genocida presidente que temos hoje no poder e de todos os responsáveis envolvidos na gestão da saúde pública. Lamento a dor de todas as pessoas que assim como eu perderam entes queridos pra essa doença que poderia ter sido contida com antecedência e evitado uma tragédia ainda maior.

Eu também gostaria de fazer um agradecimento aos profissionais da saúde, em especial ao SUS que vem fazendo um trabalho maravilhoso na imunização da população no país. Nesta semana eu fui vacinado com dose única contra a covid19 e agora tenho esperança no futuro. Parabéns para esses profissionais que nunca são valorizados e exercem uma função essencial para a população.

#vivaaciencia #vacinanobraço #vivaosus

sábado, 5 de junho de 2021

Caminhada

Na solidão dos dias às vezes me pergunto
Se alguém realmente se importa comigo
Só queria a alegria de estar junto
O amor parece ser o meu inimigo

Não sei se alguém gosta de mim de verdade
E me pego nessa ansiedade
Na tristeza eu me desfaço
E fico na espera de um abraço

Ser feliz não é assim tão fácil
A vida não é um conto de fadas
Mas não desejo uma paixão fútil
Continuo na minha caminhada


Alécio Souza