sábado, 5 de junho de 2021

Caminhada

Na solidão dos dias às vezes me pergunto
Se alguém realmente se importa comigo
Só queria a alegria de estar junto
O amor parece ser o meu inimigo

Não sei se alguém gosta de mim de verdade
E me pego nessa ansiedade
Na tristeza eu me desfaço
E fico na espera de um abraço

Ser feliz não é assim tão fácil
A vida não é um conto de fadas
Mas não desejo uma paixão fútil
Continuo na minha caminhada


Alécio Souza

segunda-feira, 3 de maio de 2021

Sigo

Sigo sem compreender a ignorância das pessoas
Essa cultura do ódio, de ofensas à toa
A falta de gentileza, de educação e respeito
Não dizemos mais obrigado, nem olhamos direito

Somos reféns de uma sociedade adoecida
A solidariedade parece esquecida
E qualquer gesto de bondade
Acaba virando uma novidade

Em qual momento as pessoas deixaram de amar?
Quando a vida do próximo deixou de importar?
A miséria da alma é muito pior que a humana
A indiferença nos faz seres desumanos

Nessa vida não tenho grandes ambições
Mas sou movido pelas emoções
A lágrima, o sorriso, o coração aquecido
Que tem muito amor pra ser oferecido


Alécio Souza

quinta-feira, 1 de abril de 2021

Tempos dissonantes

Vivemos um mundo estranho atualmente
Não percebemos a tristeza em nossa frente
A dor calada se torna presente
E ninguém se importa infelizmente

A falta de amor ao próximo é chocante
A nossa sensibilidade parece distante
Não sentimos mais afeto como antes
Estamos vivendo tempos dissonantes

A tristeza alheia parece não importar
Pessoas agem normalmente sem se incomodar
Na depressão tudo pode mudar
E a falta de humanidade pode matar

Somente um olhar diferente e carinhoso
Pode aliviar um coração ansioso
Precisamos de atitudes e gestos bondosos
E de sermos mais gentis e generosos


Alécio Souza

quarta-feira, 3 de março de 2021

Lá se vai o navio

Lá se vai o navio
Levando saudades embora
Navegando em mar frio
Sem destino nem hora

Lá se vai o navio
Cruzando os oceanos
E o sentimento tardio
Me persegue por anos

Lá sei vai o navio
Percorrendo tantas cidades
Aquele amor que sentia sumiu
Trazendo novas oportunidades


Alécio Souza

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2021

O tempo

O tempo
Cicatriza as feridas
Das decepções vividas
De ilusões perdidas
De confianças traídas

O tempo
Aquieta o coração
Renova uma paixão
Aceita o perdão
E nos mostra a razão

O tempo
Nos envelhece
Às vezes entristece
Também nos amadurece
E assim a vida acontece


Alécio Souza