segunda-feira, 13 de abril de 2015

Milionário por uma noite













Essa noite eu tive um sonho extraordinário
Sonhei que fiquei milionário
Acertei todos os números da Mega
E já marquei viagem de férias pra Las Vegas

Pedi as contas do meu emprego miserável
Confesso que foi um momento muito agradável
Não preciso mais fazer contas no fim do mês
Acabaram-se as minhas pilhas de carnês

Agora que sou rico eu posso curtir a vida
Conhecer muitos países e apreciar boa comida
Ter carros caros, mansões e mulheres bonitas
Chega de perrengue e de levar marmita

Quando acordo pela manhã percebo que nada mudou
Eu continuo sendo o mesmo pobre e sofredor
Porém a minha maior riqueza o sonho não levou
Que é a de ser honesto e sempre batalhador!

5 comentários:

  1. Cara Pálida, pode acreditar que quase morri de rir lendo esse seu poema. E não apenas eu, mas todo mundo aqui, pois li para todos em voz alta. Adoramos, super abraço!

    ResponderExcluir
  2. A, mas eu acho que és mais feliz assim...Honesto e trabalhador. Adorei! Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc gostou amiga, eu quis fazer um poema leve e engraçado! Confesso que mandar o serviço as favas seria um grande alívio pra mim...rs! bjs

      Excluir
  3. O título de seu blog, é caricato e muito interessante. Parece contraditório, mas não é.

    Seus versos são uma gracinha, cheios de humor e vivacidade.

    Que pena que você acordou, Alécio!

    Lindos dias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quis dar um nome para o blog onde houvesse essa controvérsia, porque mesmo na rebeldia não podemos perder a nossa ternura jamais! Agradeço pelos elogios e seja muito bem-vinda ao meu blog! Bjs

      Excluir