domingo, 11 de novembro de 2012

Metrópole

Na metrópole cinzenta e fria
Todos querem vencer e se dar bem na vida
Muitos abusam da sua hipocrisia
Vivendo uma vida vazia

Na metrópole barulhenta o dia não acaba
As pessoas andam pelas ruas apressadas
Olhares distantes numa eterna solidão
Uma cidade cheia de sonhos e ilusão

Na metrópole imensa há inúmeras possibilidades
Num jogo perverso de vaidades
Mas também há espaço pra quem é verdadeiro
E luta honestamente o ano inteiro.