terça-feira, 17 de julho de 2018

O perdão

Na vida aprendemos com os nossos erros
E sem querer fazemos alguém sofrer
Erros acontecem e nos fazem entender
Que admitir o erro não é vergonha

Que pedir perdão é algo grandioso
E que ser perdoado é maravilhoso
Pedimos perdão pelos nossos atos
Esperando uma resposta de imediato

Saber perdoar é também uma generosidade
Que só as pessoas que amam de verdade
Conseguem esse gesto de bondade
E demonstram assim toda a sua humanidade

O perdão é acima de tudo uma lição
Que se aprende quem tem bom coração
É a prova mais clara do amor por alguém
E a vontade do querer bem


Alécio Souza

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Na janela

Na janela eu observo a vida lá fora
Com o olhar perdido querendo ir embora
Fugir pelo mundo afora
E me pergunto o que faço agora?

Na janela eu vejo a Lua no céu
E penso nos seus beijos de mel
Mas lembro que agora sou réu
Desse amor que já virou fel

Na janela eu imagino uma estrada
E continuar na minha caminhada
Hoje eu não tenho nada
Amanhã é uma nova jornada


Alécio Souza

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Paradeiro

Há tempos caminho sem destino
Vivendo em desatino
Na dúvida em qual passo dar
Com medo de novamente errar

Fecho os meus olhos pra não enxergar
A maldade que paira no ar
Pessoas nos decepcionam a todo instante
Mesmo sendo próximas nos parecem distantes

Eu sou apenas uma pessoa com defeitos
Que tem problemas e não é perfeito
Mas sempre fiel e verdadeiro
A procura do meu paradeiro


Alécio Souza

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Alguém especial

Adoraria ser um poeta
Para com meus versos conquistá-la
Adoraria ser um cantor
E no final da música pudesse beijá-la

Adoraria ser um ator
E encenar com você uma peça de amor
Adoraria ser o seu herói
Para tê-la em meus braços

Adoraria sonhar com você
E que esse sonho não acabasse
Adoraria namorar com você
E que esse amor durasse

Adoraria ser alguém especial pra você
Alguém que você amasse
Sem mudar esse seu jeito
Tão lindo de viver


Alécio Souza

sábado, 3 de março de 2018

A cerejeira

Passeando num campo de cerejeira
Penso o quanto a nossa vida é passageira
Tudo se passa tão depressa
Que não percebemos o que realmente interessa

No caminho entre as cerejeiras
Lembro o tempo que perdemos com besteiras
Deixando de lado a nossa vida
Vivendo em tom de despedida

Na beleza natural das flores da cerejeira
Exalto a mensagem mais verdadeira
Viver a vida com simplicidade
Não criando um mundo fora da realidade

Ao pé da cerejeira
Nos redimimos da nossa cegueira
Somos mais fortes na leveza de sentimentos
Que espantam todos os nossos desalentos


Alécio Souza