quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Soneto do homem só

Um homem solitário
Na beira da estrada se lamenta
Sonha com um amor primário
Que o tire dessa tormenta

O homem só
Quer apenas ser amado
Viver um romance sem nó
Sem começo, sem fim, sem culpado

Amores de verão
São como uma grande tempestade
No começo um furacão, depois a inundação

O desejo de todo homem é viver suas paixões
É acordar radiante de felicidade
E oferece-la a outros corações


Alécio Souza

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Abrigo

Nos dias tristes e com o coração sofrido
Penso somente na paz do seu abrigo
A dor no peito parece não ter fim
E todos os dias são de angustia pra mim

A vida se torna complicada
Quando não vemos como sair dessa cilada
Eu só queria o seu amor e mais nada
E agora me vejo numa queda alucinada

Quero ter de volta aquela minha felicidade
Sem preocupações e essa ansiedade
Quero ter de volta o meu amor
E me lembrar do teu sorriso encantador


Alécio Souza

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Dias angustiantes

O mundo está em constante evolução
Por todos os cantos a vida está em ebulição
Mas as pessoas estão cada vez mais distantes
Vivemos dias angustiantes

Há muito rancor e ódio
Muita violência e preconceito
Intolerância e assédio
Falta de amor e respeito

O que importa é levar vantagem
Exibir os seus bens materiais
Mostrar a todos uma imagem
Que surpreenda todos os demais mortais

Riqueza, poder, ostentação
Força, imposição, truculência
Nunca foram motivos para celebração
Os valores éticos vivem a beira da falência

Precisamos de um mundo com mais sorrisos
Com mais educação e honestidade
Na injustiça nunca podemos ser omissos
Devemos criar uma nova sociedade

O mundo precisa da paz
As pessoas precisam amar
O sentimento verdadeiro nunca se desfaz
Ainda vale a pena sonhar


Alécio Souza

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Noite de luar

Levo comigo a alegria do seu olhar
E fico pensando no dia em que você partiu
Era noite de luar
Mas você não me viu

Viajou deixando para trás
Saudades, amigos, sonhos e desejos
E eu buscando a minha paz
Imagino como seriam os teus beijos

Amor, não demore pra voltar
Estou aqui a te esperar
Talvez eu venha te conquistar

Preciso da sua luz para iluminar meu caminho
Onde há sofrimentos e espinhos
Quero estar com você e beber do seu vinho

Venha ficar comigo e me acariciar
Já estou aprendendo a te amar
Só me falta te encontrar


Alécio Souza

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Contraste

Um dia que começa
Uma porta que se fecha
Um beijo na testa
Uma esperança que ainda resta
Um sonho não realizado
Uma fila de desempregado
Um baile animado
Um coração acelerado
Um passado que trás saudades
Uma paixão que não tem idade
Uma conversa que vira amizade
Um mundo cheio de maldade
Uma canção de amor
Um perfume de uma flor
Um tempo que se passou
Uma lembrança que trás dor
Um futuro diferente
Um país decente
Com pessoas inteligentes
Vivendo dignamente


Alécio Souza