sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Pele dourada

Teu sorriso fascinante
É como uma estrela cintilante
Ilumina a escuridão do entardecer
E antecipa um novo amanhecer

A tua pele dourada
Pelo sol modelada
Revela toda a sua sedução
Pois seu encanto vem do coração

Quando caminhas a beira-mar
Torna-se uma sereia do mar
Sua beleza ofusca com sutileza
E espanta toda a tristeza

No seu olhar vejo a alegria
Tão intensa que contagia
Em sua voz sinto a doçura
E toda a sua ternura

Um sonho me leva a sua imagem
Dentro da mais linda paisagem
É como uma bela flor
Que onde nasce trás amor

Imagino te conhecer
E nunca mais deixar de te ver
Pois você conquistou a minha admiração
E também o meu coração


Alécio Souza

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Lados opostos

Durmo com a tranquilidade
Acordo com a incerteza
Caminho com a esperança
Tropeço na ignorância
Acredito na felicidade
Mas esbarro na insegurança
Trabalho com amor
Sou assaltado pela hipocrisia
Amo a sensatez
Desvio-me da estupidez
Grito pela liberdade
Calo-me para a tristeza
Brinco com a imaginação
De que podemos ser felizes
Agradeço as vitórias
Tento esquecer as derrotas
Pois sempre confio
Que a nossa vida pode ser melhor


Alécio Souza

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

O trem

O trem que passa pela estação
Leva consigo um pedaço do meu coração
Não quero acreditar na minha decepção
E pensar que a nossa relação foi em vão

O trem que corta as cidades
Me conduz nas proximidades
Onde já fui feliz e sinto enormes saudades
De ter vivido tantas felicidades

O trem segue o seu destino
Enquanto eu vivo em desatino
Dessa paixão eu já estou quase desistindo
Chega de viver esse amor clandestino


Alécio Souza

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Soneto do homem só

Um homem solitário
Na beira da estrada se lamenta
Sonha com um amor primário
Que o tire dessa tormenta

O homem só
Quer apenas ser amado
Viver um romance sem nó
Sem começo, sem fim, sem culpado

Amores de verão
São como uma grande tempestade
No começo um furacão, depois a inundação

O desejo de todo homem é viver suas paixões
É acordar radiante de felicidade
E oferece-la a outros corações


Alécio Souza

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Abrigo

Nos dias tristes e com o coração sofrido
Penso somente na paz do seu abrigo
A dor no peito parece não ter fim
E todos os dias são de angustia pra mim

A vida se torna complicada
Quando não vemos como sair dessa cilada
Eu só queria o seu amor e mais nada
E agora me vejo numa queda alucinada

Quero ter de volta aquela minha felicidade
Sem preocupações e essa ansiedade
Quero ter de volta o meu amor
E me lembrar do teu sorriso encantador


Alécio Souza